Feeds:
Posts
Comentários

Archive for setembro \14\UTC 2009

Aprimoramento

Conforme o Dicionário Aurélio, significa “Aperfeiçoar, esmerar, aprimorar o estilo”. Já o Dicionário Michaelis é mais abrangente e define aprimoramento como “Aperfeiçoar-se, esmerar-se, tornar-se primoroso, esforçar-se para atingir a perfeição, acompanhar (dádivas ou ações caritativas) de primor e nobreza para não humilhar quem recebe o benefício”.

São várias definições lingüísticas para a mesma palavra, porém com bastante identificação com o propósito deste artigo.

Quando, na primeira parte deste artigo, citei a necessidade de aprimoramento, era bem isso que tinha em mente. De todas as definições acima, talvez a que mais se encaixa no ministério de louvor, ou na obra de Deus em geral, seja a de “esforçar-se para atingir a perfeição”. Exagero? Não. Deus é perfeito em tudo, Cristo foi e ainda é perfeito em tudo. E nós, seres imperfeitos, devemos, conforme diretiva citada por Paulo em I Coríntios 11:1, imitá-lo, assim como ele imitava a Cristo.

Difícil? Talvez. Impossível? Com nossa carnalidade, sim. É claro que nem eu nem você poderemos ser o que Jesus foi, pois além de uma vida totalmente comprometida com o reino de Deus, ele era o próprio Deus vivendo entre nós.

Mas nossa obrigação como crentes é aprimorar nosso caráter e a cada dia dar um passo a mais no objetivo de sermos imitadores de Cristo. Nossos vizinhos, parentes, amigos e até irmãos em Cristo precisam olhar pra nós e ver algo diferente, precisam ver que em nós há o brilho de Jesus, que há em nós o caráter de Cristo!

Sei que isso não é fácil e nem se conquista do dia para a noite. Há pessoas que entram numa igreja e já sentem-se transformadas. AMÉM por isso. Mas esperemos seus frutos para ver se realmente a semente caiu em boa terra. Já vi pessoas sentindo-se transformadas e cheias do Espírito Santo de Deus. Porém na primeira discussão com irmãos, já ferve seu sangue e a boca não mede esforços para liberar todo o tipo de verbete ofensivo e anti-bíblico.

Defeito da pessoa? Talvez. Defeito maior é de quem afirmou que ela havia sido transformada e já possuía o caráter de Cristo. Hoje em dia vemos muito disso nas igrejas pelo mundo a fora. Pastores consagrados do dia para a noite, ministros de louvor sem preparo algum e participantes de ministérios diversos apenas de carteirinha.

No mês passado falei sobre SERVIÇO e a necessidade de trabalharmos para o Senhor. O aprimoramento anda junto com o serviço. De nada vale aprimorarmos nosso caráter, nossa inteligência sem que haja frutos mostrados pelo serviço à casa de Deus. E também de nada vale servirmos ao Senhor sem o devido preparo. É claro que ninguém é proibido de ajudar na obra, dedicar-se ao ministério A ou B, mas sem o mínimo preparo, é melhor que não o faça.

Deus é perfeccionista e é necessário que sejamos também. Palavra forte? Exagero? Você pode pensar assim. Mas te digo que tudo o que meu Deus é, eu também quero ser!

Você pode tocar num domingo, seu louvor ser aceito por Deus, os instrumentos bem afinados, e a música em bom tom com as vozes afinadas e tal. Isso é muito importante para a igreja. O inadmissível é você pensar que está bom e não ver nenhuma possível melhora.

Ponha uma coisa na sua cabeça. Por mais que nos esforcemos, nos dediquemos e venhamos a nos aprimorar, nosso louvor nunca estará no padrão merecido por Deus. Nossa situação humana e pecaminosa jamais conseguiria entregá-lo algo que realmente venha a saciar seu coração. Do contrário, Jesus nem precisaria ter morrido por nós. O único louvor perfeito que já foi visto foi o próprio sacrifício dele na cruz do calvário. Um louvor que mudou o rumo da história. Mas você deve estar perguntando: Mas como assim louvor? E eu pergunto: Quem te disse que louvor está relacionado só com música?

Nosso estilo de vida pode ser um louvor a Deus. Quando fazemos algum serviço na casa de Deus, estamos louvando. No seu trabalho, escola ou vizinhança, sua vida deverá ser um louvor diário ao Senhor. Isso certamente afetará o coração dos que te rodeiam.

Agora, como aprimorar-se?

Bom, temos várias maneiras de fazer isso. No caso do louvor envolvendo a música, que é nosso foco principal, podemos citar: estudo técnico e consagração.

Um ministro de louvor segundo o coração de Deus precisa dedicar-se aos dois. Só estudo técnico sem consagração não serve. Se servisse, contrataríamos qualquer exímio músico mundano para tocar na igreja. Consagração sem estudo técnico também não serve. Senão entregaríamos a guitarra ou teclado para o pastor e o louvor seria uma bênção.

Quero que você entenda e pense bem nisso.

Davi era um homem segundo o coração de Deus. Isso todos sabem. Só que ele, desde sua juventude, já era um levita que prezava pelo estudo técnico e pela consagração. Se você ler I Samuel 16:17 vai entender. Saul estava atormentado por um espírito maligno e mandou chamar um músico que tocasse bem. Qualquer músico? Não. Ele obrigatoriamente teria que tocar bem! Para Saul isso já era suficiente para acalmá-lo. Mas nós sabemos que a unção de Davi era forte arma para liberar um louvor capaz de expulsar um espírito destes.

No versículo 18 lemos a receita para termos um músico conforme a vontade de Deus: 1) Saber tocar; 2) Valente e vigoroso; 3) Homem de guerra; 4) Prudente em palavras; 5) De gentil presença e 6) O SENHOR é com ele;

Bom, agora basta a nós fazermos uma auto análise e ver se nos enquadramos nesses seis aspectos super importantes para obtermos sucesso em nosso ministério de louvor. Quando digo sucesso não é perante os homens e sim perante Deus.

Você notou que o primeiro tópico citado pelo servo de Saul foi o fato de “saber tocar” ? Para ver como isso é importante. Ninguém precisa ser um músico virtuoso, porém deve buscar constante aprimoramento no conhecimento musical, estudar harmonia, acordes e principalmente ter percepção musical. Há casos em que Deus nos presenteia com letra, harmonia e melodia. Isso já aconteceu comigo e foi muito gratificante saber que o Senhor tinha uma música reservada para mim. Conheço uma irmã que simplesmente recebe louvores direto do trono de Deus durante suas orações tanto individualmente em casa como num grupo caseiro. Isso é incrível.

Mas nem sempre isso acontece. Às vezes temos uma letra inspirada na Bíblia ou numa oração e nos falta somente a melodia e harmonia. Como fazê-las se nem ao menos conhecemos bem nosso instrumento e muito menos teoria e conceitos musicais? Se chegarmos aos músicos existentes nas igrejas de Gravataí e pedirmos para fazer um acorde de Lá 7+/9 ou fazer uma escala de Ré menor, quantos fariam sem questionar? Quantos saberiam?

Se Deus nos deu o dom ou a graça de sermos um pouco mais musicais que os demais irmãos da congregação, isso não é motivo para estacionarmos e nos acharmos em condições de exercer um ministério. Não devemos nos comparar com quem não sabe nada em relação à música. Aquele ditado “em terra de cego quem tem um olho é rei” não se enquadra no evangelho. Temos que nos comparar ao Senhor Jesus e buscar a máxima perfeição nele!

Se o pastor da igreja ficar um mês sem pegar a Bíblia para estudar o que você acha que acontecerá? Bom, talvez no primeiro mês o impacto seja pequeno. Mas te garanto que se essa atitude se repetir, fatalmente ele perderá aos poucos sua unção e sabedoria. O ministério pastoral deve ser alimentado com freqüência. Não esqueça que nosso inimigo está diariamente se aprimorando e descobrindo novas formas de nos abocanhar.

Com o músico ocorre o mesmo. Se você ficar um mês longe do seu instrumento, certamente seu rendimento não será mais o mesmo e a cada mês você ficará para trás. Esse é o valor que você dá ao ministério que Deus te confiou?

Pense nisso.

Anúncios

Read Full Post »