Feeds:
Posts
Comentários

Archive for julho \25\UTC 2013

Recentemente estava trabalhando numa cidade do interior gaúcho e, ao ligar o rádio, ouvi um pastor pregando sobre a passagem de Marcos 4:37, quando um vendaval atingiu o barco onde navegavam Jesus e seus discípulos. Em poucos minutos pude meditar num assunto tão pregado por todas as igrejas, no entanto pouco compreendido na grande maioria delas.

Mesmo sabendo que terei poucos aprovadores, o que posso ver hoje são igrejas que ao invés de pregarem mudança de vida nas pessoas para enquadrarem-se ao evangelho, divulgam um evangelho light que adapta-se às necessidades de cada um. Mas lendo e relendo o texto pude entrar naquele barco e ver o cenário da situação. O vento cada vez mais forte, os discípulos morrendo de medo, apavorados com tudo aquilo e Jesus, bom, Jesus dormindo em sua tranquilidade. Baseado nisso, constatei algumas coisas:

1) Ter Jesus em seu barco não é garantia nenhuma de águas calmas. Hoje prega-se que todos são vitoriosos, todos são mais do que vencedores, Deus te chamou por cabeça, és herdeiro dessa terra, o diabo está debaixo do teu pé, e outros chavões corriqueiros. Quando que Jesus disse isso? Ele me prometeu duas coisas: aflições e uma cruz. O resto é lucro pois o que mais nos interessa não é a eternidade? Tem uma música do Renato Russo que diz: “o sol nasce pra todos, só não sabe quem não quer” e parece que os cristãos não querem saber pois pra “nós”, só prospera quem segue a Deus. Só prospera quem dá dízimo e ofertas. Só prospera quem tem dois ou mais cargos na igreja. Te digo que só prospera quem estuda, acorda cedo e vai trabalhar. Esse é o segredo. Do contrário, por favor, qual a igreja que Eike Batista, Roberto Justus e Bill Gates frequentam?

2) A linha divisória entre céu e inferno é muito tênue. Basta um passo pra direita ou esquerda e pronto. Jesus estava no barco dormindo pois ele descansava em Deus. Todos deveriam ter feito o mesmo, mas humanos não conseguem confiar em pessoas de sua convivência, imagina em um Deus que não podemos ver? Um passo fora do barco e já era. Fatalmente poderiam morrer afogados ou serem levados pelas águas. Na vida espiritual ocorre o mesmo. E ainda nos damos ao luxo de brincar, criando limites para ver até onde conseguiremos permanecer Nele.

3) Sem dúvida que descansar em Deus é o melhor. Nossa vida é bastante imediatista, não queremos esperar por nada. Quando descobri que minha esposa estava grávida, pensei nos nove meses até o parto. Quando entrei na faculdade imaginei que ficaria ali cinco longos anos. Talvez se os discípulos estivessem dormindo ao lado do mestre, nem tivesse ventado, não sei. Os problemas periféricos, tudo que nos cerca, mesmo estando longe do núcleo – que é nossa convivência com Deus – ainda conseguem nos abalar. Mesmo estando do outro lado da jaula, um leão sempre impõe medo não é verdade?

4) Jesus disse, está dito. Na minha visão da situação pude imaginar o pessoal gritando, Pedro tentando segurar as velas, João tentando acordar Jesus, alguns tirando água do barco, outros apavorados e quando conseguem acordá-lo, Jesus com olhos inchados de sono, cabelo despenteado, nem põe-se de pé. Apenas apoia-se em seu cotovelo, olha para os semblantes atônitos de seus amigos e fala: Vento, para agora. Mar, chega!  Ainda, talvez antes de voltar a cochilar, coloca os discípulos na parede e pergunta: E a fé de vocês? Acho que engoliram seco e disseram: Vamos tocar viagem pessoal, temos que chegar à outra margem.

 

Então faço a pergunta: Como você reage frente os problemas? Primeiramente, Jesus está em seu barco? Você confia nele ou prefere confiar no meteorologista, no capitão ou no marinheiro que amarrou as velas? Observe Jesus a cada momento difícil. Pense no que Ele faria para contornar essa situação e comece a agir como Ele.

Read Full Post »